domingo, 12 de agosto de 2012

Entrevista por email a Jorge Freitas


Jorge Freitas


1. Qual o teu primeiro contacto com a fotografia ? Desde muito cedo, teria eu 2 ou 3 anos. Era mais figurante do que fotógrafo, entenda-se… :)

2. Como desenvolveste o gosto pela fotografia ? De um ponto de vista mais técnico e como hobby principal, desde 2007.

3. Que tipo de fotografia gostarias de fazer ? Eu procuro fazer todo o tipo de fotografia que me agrada. Tenho as minhas preferências, mas não me dedico exclusivamente a um género. 
 
4. Que tipo de fotografia costumas fazer ? Grafismos, trabalhos de luz e sombra, fotografia de rua.

5. Já leste algum livro sobre fotografia ? Se sim, qual ou quais? Sim, alguns. Mas possuo apenas um, o do Joel Santos. 
 
6. Já fizeste algum curso de fotografia ? Não. Depois de ter lido alguma teoria, nada como a prática através do autodidatismo e da observação dos mestres. Errar, errar, até acertar.

7. Quais são as partes do dia que geralmente utilizas para fotografar (manhã, tarde ou noite)? Claro que prefiro o nascer do sol e o por do sol, mas nem sempre é possível. Qualquer hora é boa, desde que se possa fotografar. :) 
 
8. Fotografas durante a semana ou no final de semana ? É conforme a disponibilidade de tempo.


9. Qual é o equipamento de fotografia que geralmente utilizas ? Canon EOS 550D, lentes 18-55 e 70-300.


10. Já experimentaste várias máquinas fotográficas ou geralmente utilizas sempre a mesma? Cheguei a fotografar com uns quantos sabonetes (as compactas)… :)


11. Já experimentaste fotografar com telemóvel ? Já, para captar um momento imperdível quando não tinha a máquina comigo. Mas daí à fotografia vai a distância do esboço à obra final…


12. Se fazes fotografia de retrato, tens algum modelo habitual ? O modelo mais habitual, por insistência peremptória do mesmo, é o meu filho. Depois pede-me as fotos para enviar às miúdas… :)


13. Quando viajas levas a máquina fotográfica contigo ? O que procuras fotografar ? Paisagens, Monumentos e/ou Pessoas? Quando viajo, levo a máquina sempre comigo. E fico ainda mais maluco por fotografia de rua do que habitualmente. :)


14. Em que modo costumas fotografar ? (automatico, manual, prioridade à abertura, etc) Isso depende do tipo de fotografia e do tempo que tenho para preparar o disparo. Em circunstâncias normais, prioridade à abertura.


15. Gostas mais da fotografia a cores ou P&B ? Depende do que pretendo transmitir. A minha tendência habitual é ir para o PB, mas há fotos que só resultam a cores.


16. Na tua Galeria de Fotos consegues eliminar todas fotos até obteres uma galeria com as tuas 6 melhores fotos ? Não sei se conseguiria. Talvez eliminasse as duas primeiras centenas de fotos e mais algumas, mas reduzir a galeria a seis, penso que não.


17. Costumas publicar as tuas fotos em algum site de fotografia ? Se sim, qual ou quais ? Publico no Olhares, na visao.pormenores.net e no meu blog (pontodefugafotoblog.blogspot.com). Tenho conta no Flickr, mas já não publico nada há muito tempo. Ah, e cheguei a ter conta no Reflexos. Bom, também coloco fotos no Facebook.


18. O que mais procuras num site de fotografia ? (exposição das fotos, comentários, dicas, outros) Gosto de partilhar as minhas fotos, mas principalmente apreciar, aprender e inspirar-me com outros autores.


19. O que mais te agrada na fotografia: Estética; Composição; Cor; Luz; Contraste; Impacto visual A estética e o impacto visual.


20. Quem mais te influenciou na fotografia ? As influências recebidas foram – e são – várias. Destaco dois momentos: num primeiro, há muitos anos, o fascínio pela fotografia de rua e de época, vendo as chapas de Joshua Benoliel. E mais recentemente, um amigo que me “puxou” para a fotografia como hobby.


21. Porque é que a fotografia é importante para ti ? É uma forma de expressão artística que me agrada bastante.


22. Acreditas na expressão: Uma foto vale mil palavras ? Se sim, porquê ? Uma foto tem de ter a capacidade de sintetizar toda uma história para que possa assim ser classificada. Posto isto, claro que pode.


23. Se a fotografia não existisse, o mundo seria diferente ? Sem dúvida. Bom, é preciso ver que, antes da fotografia, sempre houve outras formas de recriar a realidade. A produção dessas obras, porém, não estava ao alcance de qualquer um, nem sequer a sua apreciação. A fotografia revolucionou a maneira como tomamos conhecimento do nosso mundo – do presente e do passado. É arte e um manancial de informação histórica, ao mesmo tempo.


24. O que gostarias de ver através da tua câmara fotográfica ? Creio que qualquer fotógrafo, seja ele amador ou profissional, deseja captar um momento único e marcante. Não serei excepção, nesse particular. Mas se pudesse escolher, preferia uma revolução a uma catástrofe, partindo do princípio que a primeira não conduziria à segunda, como em 1973 no Chile…


25. Quem é o teu fotografo favorito ? Cartier-Bresson e Frank Capa. Entre os não-profissionais, tenho bons amigos que são grandes fotógrafos, mas não cometerei nenhuma injustiça em relação aos restantes se, de entre eles, citar três referências: Fidalgo Pedrosa, Carlos Lopes Franco e José Pessoa.


26. Achas que é preciso ter talento para registar emoção numa fotografia ? Talento, paixão pelo que se faz e um pouco de sorte, também.


27. Achas que o preço de uma câmara fotográfica pode afetar o resultado final da foto ? Do ponto de vista técnico, sim. Mas a máquina não faz a foto, é o fotógrafo que trata disso.


28. Tens estilo próprio na fotografia ? Se sim, qual ? Procuro não me fixar num estilo. Penso que sou muito heterogéneo.


29. Para ti a fotografia é um hobby ou um modo de vida (profissional) ? Um hobby.


30. O que é necessário para ser um bom fotografo ? Como em tudo o que se faz bem na vida: empenho e paixão pelo que se quer levar a cabo.


31. O que mais gostas de fotografar ? Pessoas num dado contexto. É o que mais me atrai, mas não necessariamente o que mais faço.


32. Na tua opinião, o que faz da fotografia uma arte ? Por definição, arte é algo que se desenvolve e atinge através da acumulação de saber, técnica e experiência, resultando num produto final único. Mas o conceito de arte sempre diferiu muito entre culturas, de indivíduo para indivíduo e numa mesma sociedade, para já não referir épocas históricas. A fotografia está sujeita a todas essas condicionantes. É, por assim dizer, uma arte multifacetada. Pode ser considerada como obra de arte tanto uma fotografia tecnicamente irrepreensível, como uma fotografia manipulada através de programas de edição de imagem e que, enquanto objecto artístico, se afastou da captação inicial. Tudo depende da forma como encaramos a fotografia.
33. Acreditas que a fotografia de rolo (35mm) vai acabar definitivamente na fotografia digital ? Talvez não desapareça por completo para já, mas ficará certamente remetido para o canto das relíquias curiosas, como as penas de pato com que se escrevia nos séculos XVI ou XVII, por exemplo.


34. Qual é a história da tua fotografia? Todos os fotógrafos são considerados contadores de histórias. O que transmitem as tuas fotos? Essa é uma pergunta que eu, entrevistado, deveria fazer ao entrevistador e aos leitores… :)


35. Como fotógrafo, és o primeiro crítico dos teus trabalhos? Claro. Um crítico bastante exigente, mas que às vezes se equivoca...


36. Concordas com a expressão: "Escrever um elogio com a intenção de agradar o fotógrafo para receber a sua visita, é tão mau como dar uma crítica destrutiva." É muito pior do que uma crítica destrutiva. A propósito, já visitou o meu último trabalho? :))